Poesias Preferidas

Seleção de Poesias

Arquivos de Categoria: Poesias Infantis

Gosto Não Se Discute – Roseana Murray

Eu gosto de azul, você gosta de laranja, eu gosto de caju, você gosta de pitanga, eu gosto de escuro, você gosta de luar, eu gosto de bosque, você gosta de mar, eu gosto de seda, você gosta de algodão, eu gosto de cão, você gosta de gato, eu gosto de girassol, você gosta de …

Continuar lendo

As Borboletas – Vinicius de Moraes

Brancas Azuis Amarelas E pretas Brincam Na luz As belas Borboletas. Borboletas brancas São alegres e francas. Borboletas azuis Gostam muito de luz. As amarelinhas São tão bonitinhas! E as pretas, então… Oh, que escuridão! Vinicius de Moraes

Continuar lendo

A História de Franz Kafka e a Boneca Viajante

Dora Diamant, a última companheira de Franz Kafka, contou essa história ao crítico francês e tradutor Marthe Robert, e, em uma versão um pouco diferente, à Max Brod: Um dia, Kafka e a namorada passeavam juntos pelo bairro onde viviam, Steglitz, em Berlim e, ao cruzarem um parque, viram uma menina chorando. Kafka quis saber …

Continuar lendo

A Pátria – Olavo Bilac

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste! Criança! não verás nenhum país como este! Olha que céu! que mar! que rios! que floresta! A Natureza, aqui, perpetuamente em festa, E um seio de mãe a transbordar carinhos. Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos, Que se balançam …

Continuar lendo

Duas Dúzias de Coisinhas à Toa Que Deixam a Gente Feliz – Otávio Roth

Passarinho na janela, pijama de flanela, brigadeiro na panela. Gato andando no telhado, cheirinho de mato molhado, disco antigo sem chiado. Pão quentinho de manhã, drops de hortelã, grito do Tarzan. Tirar a sorte no osso, jogar pedrinha no poço, um cachecol no pescoço. Papagaio que conversa, pisar em tapete persa, eu te amo e …

Continuar lendo

O ron-ron do Gatinho – Ferreira Gullar

O gato é uma maquininha que a natureza inventou; tem pêlo, bigode, unhas e dentro tem um motor. Mas um motor diferente desses que tem nos bonecos porque o motor do gato não é um motor elétrico. É um motor afetivo que bate em seu coração por isso ele faz ron-ron para mostrar gratidão. Ferreira …

Continuar lendo

O Canário e o Pardal – Pedro Bandeira

Na gaiola do vizinho tem um canarinho que canta afinadinho pra me encantar. Na calçada aqui da rua tem um pardalzinho que pia simplezinho de fazer chorar. Entre a vida na gaiola e a calçada da cidade, não preciso nem pensar: eu prefiro a liberdade! Pedro Bandeira

Continuar lendo

Trem de Ferro – Manuel Bandeira

Café com pão Café com pão Café com pão Virge Maria que foi isto maquinista? Agora sim Café com pão Agora sim Café com pão Voa, fumaça Corre, cerca Ai seu foguista Bota fogo Na fornalha Que eu preciso Muita força Muita força Muita força Oô.. Foge, bicho Foge, povo Passa ponte Passa poste Passa …

Continuar lendo

O Planeta Azul – Roseana Murray

Menino que mora num planeta azul feito a cauda de um cometa quer se corresponder com alguém de outra galáxia. Neste planeta onde o menino mora as coisas não vão bem assim: o azul está ficando desbotado e os homens brincam de guerra. É só apertar um botão que o planeta Terra vai pelos ares… …

Continuar lendo

Ave Maria – Bach/Gounod

Ave Maria Gratia plena Dominus tecum Benedicta tu in mulieribus Et benedictus fructus ventres Tui Jesus Sancta Maria, Sancta Maria Maria Ora pro nobis Nobis peccatoribus Nunc et in hora, in hora Mortis nostrae Amen, Amen Melodia escrita pelo compositor romântico francês Charles Gounod especialmente projetada para ser sobreposta ao Prelúdio No. 1 em C maior, …

Continuar lendo

Pontinho de Vista – Pedro Bandeira

Eu sou pequeno, me dizem, e eu fico muito zangado. Tenho de olhar todo mundo com o queixo levantado. Mas, se formiga falasse e me visse lá do chão, ia dizer, com certeza: – Minha nossa, que grandão! Pedro Bandeira

Continuar lendo

A Escola das Flores – Rabindranath Tagore

As nuvens de tempestade rondam no céu, as chuvas de junho se precipitam, e o vento úmido do leste corre pelo deserto para tocar sua música na flauta dos bambus. Então, de repente, e não se sabe de onde, surgem multidões de flores, dançando sobre a relva em louca alegria. Mãe, acho que as flores …

Continuar lendo

O Elefantinho – Vinicius de Moraes

Onde vais, elefantinho Correndo pelo caminho Assim tão desconsolado? Andas perdido, bichinho Espetaste o pé no espinho Que sentes, pobre coitado? – Estou com um medo danado Encontrei um passarinho! Vinicius de Moraes  

Continuar lendo

Nessun Dorma – Amira Willighagen

. Nessun dorma! Nessun dorma! Tu pure, o Principessa, nella tua fredda stanza guardi le stelle che tremano d’amore e di speranza… Ma il mio mistero è chiuso in me, il nome mio nessun saprà! No, no, sulla tua bocca lo dirò, quando la luce splenderà! Ed il mio bacio scioglierà il silenzio che ti …

Continuar lendo

O Menino Azul – Cecília Meireles

O menino quer um burrinho para passear. Um burrinho manso, que não corra nem pule, mas que saiba conversar. O menino quer um burrinho que saiba dizer o nome dos rios, das montanhas, das flores, — de tudo o que aparecer. O menino quer um burrinho que saiba inventar histórias bonitas com pessoas e bichos …

Continuar lendo