Poesias Preferidas

Seleção de Poesias

Arquivos de Categoria: Poesia

A Vida – Augusto Branco

Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis. Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas que eu nunca pensei que iriam me decepcionar, mas também já decepcionei alguém. Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, e amigos que eu nunca mais …

Continuar lendo

Julgamento – Rabindranath Tagore

Não julgues… Habitas num recanto mínimo desta terra. Os teus olhos chegam Até onde alcançam muito pouco… Ao pouco que ouves Acrescentas a tua própria voz. Mantém o bem e o mal, o branco e o negro, Cuidadosamente separados. Em vão traças uma linha Para estabelecer um limite. Se houver uma melodia escondida no teu …

Continuar lendo

Canção Amiga – Carlos Drummond de Andrade

Eu preparo uma canção em que minha mãe se reconheça, todas as mães se reconheçam, e que fale como dois olhos. Caminho por uma rua que passa em muitos países. Se não me vêem, eu vejo e saúdo velhos amigos. Eu distribuo um segredo como quem ama ou sorri. No jeito mais natural dois carinhos …

Continuar lendo

Com os Mortos – Antero de Quental

Os que amei, onde estão? Idos, dispersos, arrastados no giro dos tufões, Levados, como em sonho, entre visões, Na fuga, no ruir dos universos… E eu mesmo, com os pés também imersos Na corrente e à mercê dos turbilhões, Só vejo espuma lívida, em cachões, E entre ela, aqui e ali, vultos submersos… Mas se …

Continuar lendo

I’ll Be There – Jackson 5

You and I must make a pact We must bring salvation back Where there is love, I’ll be there I’ll reach out my hand to you I’ll have faith in all you do Just call my name and I’ll be there And oh, I’ll be there to comfort you Build my world of dreams around …

Continuar lendo

A Minha Vida Eu a Vivo em Círculos Crescentes – Rainer Maria Rilke

A minha vida eu a vivo em círculos crescentes sobre as coisas, alto no ar. Não completarei o último, provavelmente, mesmo assim irei tentar. Giro à volta de Deus, a torre das idades, e giro há milênios, tantos… Não sei ainda o que sou: falcão, tempestade ou um grande, um grande canto. Tradução de José …

Continuar lendo

O Leão e o Ratinho – Esopo

O leão estava dormindo na sombra de uma árvore na floresta, quando um ratinho subiu nas suas costas e escorregou pelo rosto dele. O leão acordou irritado e agarrou o ratinho com sua pata. O ratinho,  apavorado, implorou ao leão: – Por favor, não me mate! Deixe-me ir e algum dia eu retribuirei. O Leão …

Continuar lendo

O Amor Antigo – Carlos Drummond de Andrade

O amor antigo vive de si mesmo, não de cultivo alheio ou de presença. Nada exige nem pede. Nada espera, mas do destino vão nega a sentença. O amor antigo tem raízes fundas, feitas de sofrimento e de beleza. Por aquelas mergulha no infinito, e por estas suplanta a natureza. Se em toda a parte …

Continuar lendo

Uirapuru – Heitor Villa-Lobos

Trecho de um discurso de Villa-Lobos em João Pessoa, Paraíba, em 1951: “O Brasil já tem uma forma geográfica de um coração. Todo brasileiro tem esse coração. A música vai de uma alma a outra, os pássaros conversam pela música, eles têm coração. Tudo que se sente na vida, se sente no coração. O coração …

Continuar lendo

Alegria de Viver – Helena Kolody

Amo a vida. Fascina-me o mistério de existir. Quero viver a magia de cada instante, embriagar-me de alegria. Que importa a nuvem no horizonte, chuva de amanhã? Hoje o sol inunda o meu dia. Helena Kolody in Paisagem Interior

Continuar lendo

Lua-Luar – Cora Coralina

Escuto leve batida. Levanto descalça, abro a janela devagarinho. Alguém bateu? É a lua-luar que quer entrar. Entra lua poesia antes dos astronautas: Gagarin da terra azul, Apolo XI que primeiro passeou solo lunar. Lua que comanda os mares, a fúria dos vagalhões que vem morrer na praia. O banzeiro das pororocas. Lua dos namorados, …

Continuar lendo

4º Motivo da Rosa – Cecília Meireles

Não te aflijas com a pétala que voa: também é ser, deixar de ser assim. Rosas verá, só de cinzas franzida, mortas, intactas pelo teu jardim. Eu deixo aroma até nos meus espinhos ao longe, o vento vai falando de mim. E por perder-me é que vão me lembrando, por desfolhar-me é que não tenho …

Continuar lendo

Sobre o Sol e a Lua – Soneto I – Alexander Herzog

Toda tarde, um caminha rumo ao outro A estrela de dia brilha e se retira Dando imagem, no céu, à lua e lira No canto, o firmamento, marca encontro O sol, este inda brilha e cede à noite O dom de luz prateada [aos olhos diante] Para que ela desfile ao seu amante Dando à …

Continuar lendo

That’s What Friends Are For – Dionne Warwick e Amigos

And I never thought I’d feel this way And as far as I’m concerned I’m glad I got the chance to say That I do believe I love you And if I should ever go away Well then close your eyes and try To feel the way we do today And then if you can …

Continuar lendo

Sozinho – Edgar Allan Poe

Da hora da infância, eu nunca pude ser Como outros eram, – nunca pude ver Como outros viam, – sentimento algum Pude extrair de manancial comum. Nas mesmas fontes eu não fui buscar A minha dor; não pude despertar Meu gozo com os tons de meu vizinho; E tudo o que eu amei, amei sozinho. …

Continuar lendo