Poesias Preferidas

Seleção de Poesias

Autor Arquivo: poesiaspreferidas.wordpress.com

Poema de Natal – Vinicius de Moraes

Para isso fomos feitos: Para lembrar e ser lembrados Para chorar e fazer chorar Para enterrar os nossos mortos – Por isso temos braços longos para os adeuses Mãos para colher o que foi dado Dedos para cavar a terra. Assim será a nossa vida: Uma tarde sempre a esquecer Uma estrela a se apagar …

Continuar lendo

Aperitivos Teológicos – Rubem Alves

Parábola sobre Deus: Algumas pessoas olham através da vidraça, discutem sobre uma casa que estão vendo, ao longe. Uma das pessoas diz que aquela casa é habitada por um nobre, de hábitos aristocráticos e conservadores. Uma outra diz o contrário, que lá mora um operário, membro do sindicato, revolucionário. Uma terceira diz que os dois …

Continuar lendo

Não Deixe o Amor Passar – Carlos Drummond de Andrade

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida. Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em …

Continuar lendo

Minha Musa – Álvares de Azevedo

Minha musa é a lembrança Dos sonhos em que eu vivi, É de uns lábios a esperança E a saudade que eu nutri! É a crença que alentei, As luas belas que amei E os olhos por quem morri! Os meus cantos de saudade São amores que eu chorei, São lírios da mocidade Que murcham …

Continuar lendo

Acrobata da Dor – Cruz e Souza

Gargalha, ri, num riso de tormenta, Como um palhaço, que desengonçado, Nervoso, ri, num riso absurdo, inflado De uma ironia e de uma dor violenta. Da gargalhada atroz, sanguinolenta, Agita os guizos, e convulsionado Salta, gavroche, salta clown, varado Pelo estertor dessa agonia lenta… Pedem-te bis e um bis não se despreza! Vamos! retesa os …

Continuar lendo

Segue o Teu Destino – Fernando Pessoa

Segue o teu destino, Rega as tuas plantas, Ama as tuas rosas. O resto é a sombra De árvores alheias. A realidade Sempre é mais ou menos Do que nós queremos. Só nós somos sempre Iguais a nós-próprios. Suave é viver só. Grande e nobre é sempre Viver simplesmente. Deixa a dor nas aras Como …

Continuar lendo

Solitário Qual Nuvem Vaguei – William Wordsworth

Solitário qual nuvem vaguei Pairando sobre vales e prados, De repente a multidão avistei Miríade de narcisos dourados; Junto ao lago, e árvores em movimento, Tremulando e dançando sobre o vento. Contínua qual estrelas brilhando Na Via Láctea em eterno cintilar, A fila infinita ia se alongando Pelas margens da baía a rondar: Dez mil …

Continuar lendo

Meu Coração – Rabindranath Tagore

Eu perdi o meu coração no empoeirado caminho deste mundo; Mas tu o tomaste em tuas mãos. Eu buscava alegria e apenas colhi tristezas; Mas a tristeza que me enviaste tornou-se alegria em minha vida. Os meus desejos se espalharam em mil pedaços; Mas tu os recolheste e os reuniste em teu amor. E enquanto …

Continuar lendo

O Homem e o Mar – Charles Baudelaire

Homem livre, hás de sempre estremecer o mar! O mar é teu espelho, e assim tu’alma sondas Nesse desenrolar das infinitas ondas, Pois também és um golfo amargo e singular. Apraz-te mergulhar ao fundo de tua imagem! Nos braços e no olhar a tens; teu coração Às vezes se distrai da interna agitação Ouvindo a …

Continuar lendo

Keep Our Love Alive – Stevie Wonder

Feeble is the mind that says they don’t care Selfish is the heart that won’t give their share Poor them, Poor we Wasted is the mind that won’t take a stand Lieth the tongue that says they can’t when they can Poor him, Poor she For as long as we live, And are blessed with …

Continuar lendo

Evolução – Rubens C. Romanelli

De muito longe venho, em surtos milenários; Vivi na luz dos sóis, vaguei por mil esferas e, preso ao turbilhão dos motos planetários, fui lodo e fui cristal, no alvor de priscas eras. Mil formas animei, nos reinos multifários: fui planta no verdor de frescas primaveras e, após desenvolver impulsos embrionários, galguei novos degraus: fui …

Continuar lendo

Ela – Machado de Assis

Nunca vi, — não sei se existe Uma deidade tão bela, Que tenha uns olhos brilhantes Como são os olhos dela! F. G. BRAGA Seus olhos que brilham tanto, Que prendem tão doce encanto, Que prendem um casto amor Onde com rara beleza, Se esmerou a natureza Com meiguice e com primor. Suas faces purpurinas …

Continuar lendo

Hino à Bandeira Nacional

A atual bandeira do Brasil foi criada 4 dias depois da Proclamação da República, em 19 de novembro de 1889. Desenhada pelo pintor Décio Vilares e projetada por Raimundo Teixeira Mendes e por Miguel Lemos, assessorado pelo astrônomo Manuel Pereira Reis, a bandeira nacional, tal como a conhecemos atualmente, é uma adaptação da antiga bandeira …

Continuar lendo

Esta República – Bastos Tigre

É certo que a República vai torta; Ninguém nega a duríssima verdade. Da pátria o seio a corrupção invade E a lei, de há muito tempo, é letra morta. A quem sinta altivez, força e vontade Ficou trancada do Poder a porta: Mas felizmente a vida nos conforta De esperança, uma dúbia claridade. Porque (ninguém …

Continuar lendo

Hino da Proclamação da República

Em 15 de novembro de 1889, o marechal Deodoro da Fonseca proclamou a república, declarando o fim do período imperial do Brasil. Naquele mesmo dia foi criado um governo provisório e o marechal tornou-se o primeiro presidente da história do Brasil, tendo sido eleito indiretamente. O imperador Dom Pedro II soube dos acontecimentos no Palácio …

Continuar lendo