Poesias Preferidas

Seleção de Poesias

Autor Arquivo: poesiaspreferidas.wordpress.com

Duas Dúzias de Coisinhas à Toa Que Deixam a Gente Feliz – Otávio Roth

Passarinho na janela, pijama de flanela, brigadeiro na panela. Gato andando no telhado, cheirinho de mato molhado, disco antigo sem chiado. Pão quentinho de manhã, drops de hortelã, grito do Tarzan. Tirar a sorte no osso, jogar pedrinha no poço, um cachecol no pescoço. Papagaio que conversa, pisar em tapete persa, eu te amo e …

Continuar lendo

Dance with My Father – Luther Vandross

Back when I was a child Before life removed all the innocence My father would lift me high And dance with my mother and me and then Spin me around ‘til I fell asleep Then up the stairs he would carry me And I knew for sure I was loved If I could get another …

Continuar lendo

Poema simples – Adalgisa Nery

Deixa-me recolher as rosas que estão morrendo nos jardins da noite, Deixa-me recolher o fruto antes que este volva as raízes da terra, Deixa-me recolher a estrela úmida Antes que sua luz desapareça na madrugada, Deixa-me recolher a tristeza da alma Antes que a lágrima banhe a pálpebra Do órfão abandonado e faminto, Deixa-me recolher …

Continuar lendo

Estão Todas as Verdades à Espera em Todas as Coisas – Walt Whitman

Estão todas as verdades à espera em todas as coisas: não apressam o próprio nascimento nem a ele se opõem, não carecem do fórceps do obstetra, e para mim a menos significante é grande como todas. (Que pode haver de maior ou menor que um toque?) Sermões e lógicas jamais convencem o peso da noite …

Continuar lendo

Versos Memoriais – Alexander Herzog

Senti uns versos n’ alma e me saíram da mão Olhos brilhavam, eu então queria escrevê-los Antes algo tocou-me fundo o coração Figuras, no emergir, eriçaram os pelos Pensei n’ algum versar silente sobre amor Mas sem que houvesse ruído, encaixado e mansinho Rebolando, ritmado, os dois em tom de ardor Variando de lado ante …

Continuar lendo

Dá Meia-Noite – Joaquim de Sousa Andrade

Dá meia-noite em céu azul-ferrete Formosa espádua a lua Alveja nua, E voa sobre os templos da cidade. Nos brancos muros se projetam sombras; Passeia a sentinela À noite bela Opulenta da luz da divindade. O silêncio respira; almos frescores Meus cabelos afagam; Gênis vagam, De alguma fada no ar andando à caça. Adormeceu a …

Continuar lendo

The Sound of Music – Julie Andrews

The hills are alive with the sound of music With songs they have sung for a thousand years The hills fill my heart with the sound of music My heart wants to sing every song it hears My heart wants to beat like the wings of the birds That rise from the lake to the …

Continuar lendo

Num Jardim Adornado de Verdura – Luís Vaz de Camões

Num jardim adornado de verdura, Que esmaltavam por cima várias flores, Entrou um dia a deusa dos amores, Com a deusa da caça e da espessura. Diana tomou logo uma rosa pura, Vênus um roxo lírio, dos melhores; Mas excediam muito às outras flores As violetas, na graça e formosura. Perguntam a Cupido, que ali …

Continuar lendo

Ela Caminha em Beleza – Lord Byron

Ela caminha em beleza como a noite De clima sem nuvens e céu estrelado; E toda a perfeição da escuridão e da luz encontra-se Em seu semblante e seus olhos Dessa forma enternecida até esta luz suave Que os céus ao dia fúlgido negam. Uma sombra a mais, um raio a menos Teria parcialmente danificado …

Continuar lendo

O Coração Risonho – Charles Bukowski

Sua vida é sua vida Não deixe que ela seja esmagada na fria submissão. Esteja atento. Existem outros caminhos. E em algum lugar, ainda existe luz. Pode não ser muita luz, mas ela vence a escuridão Esteja atento. Os deuses vão lhe oferecer oportunidades. Reconheça-as. Agarre-as. Você não pode vencer a morte, mas você pode …

Continuar lendo

L’après-midi d’un Faune – Stéphane Mallarmé

Um marco na história do simbolismo na literatura francesa, “L’Après-midi d’un faune” é considerado um dos maiores poemas da literatura da França (1876). O poema conta a história de um fauno que toca a sua flauta nos bosques, tentando alcançar, em vão, as ninfas e náiades que ali passeiam. Extenuado, o fauno cai num sono …

Continuar lendo

Daqui Pra Lá de Lá Pra Cá – Torquato Neto

Era um pacato cidadão sem documento Não tinha nome profissão não tinha tempo Mas certo dia deu-se um caso E ele embarcou num disco E foi levado pra bem longe Do asterisco em que vivemos Ele partiu e não voltou E não voltou porque não quis Quero dizer ficou por lá Já que por lá …

Continuar lendo

Pesquisa Fracassada

A ONU resolveu fazer uma grande pesquisa mundial. A pergunta era a seguinte: “Por favor, diga honestamente, qual é sua opinião sobre a escassez de alimentos no resto do mundo?” O resultado foi um fracasso. Os europeus não entenderam o que é “escassez”. Os africanos não sabiam o que eram “alimentos”. Os argentinos não sabiam …

Continuar lendo

O Teu Começo – Cecília Meireles

O teu começo vem de muito longe. O teu fim termina no teu começo. Contempla-te em redor. Compara. Tudo é o mesmo. Tudo é sem mudança. Só as cores e as linhas mudaram. Que importa as cores, para o Senhor da Luz? Dentro das cores a luz é a mesma. Que importa as linhas, para …

Continuar lendo

I Hope You Dance – Ronan Keating

I hope you never lose your sense of wonder You get your fill to eat but always keep that hunger May you never take one single breath for granted God forbid love ever leave you empty handed I hope you still feel small when you stand beside the ocean Whenever one door closes I hope …

Continuar lendo