Poesias Preferidas

Seleção de Poesias

Jardim Interno – Mário Quintana

arvores-caminho
Todos os jardins deviam ser fechados,
com altos muros de um cinza muito pálido,
onde uma fonte pudesse cantar sozinha
entre o vermelho dos cravos.

O que mata um jardim não é mesmo
alguma ausência nem o abandono…
O que mata um jardim é esse olhar vazio
de quem por eles passa indiferente.

Mário Quintana
in “A Cor do Invisível”

Anúncios

1 comentário

    Trackbacks

    1. Jardim Interno – Mário Quintana | Espaço de Lindalva

    Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s

    %d blogueiros gostam disto: