Poesias Preferidas

Seleção de Poesias

À Beira-Mar – Jacint Verdaguer

Salvador-Dali-The-Ship

(pintura de Salvador Dalí)

No alto de um promontório que domina
as ondas desse mar,
quando ao poente o astro rei declina
me ponho a meditar.
Com o esplendor daquela luz acesa
contemplo o meu não-ser;
contemplo o mar e o céu, e sua grandeza
esmaga meu poder.
Ondas a me guardar tantas lembranças
(espelho de estrelas),
que aos meus sonhos já mortos não me cansa
observar entre elas.
Tantos castelos nesta praia alcei
que o vento pôs um fim,
com cúpulas e torres altaneiras
de ouro, prata e marfim:
poemas, ai!, que por um tempo foram
qual jogos de azar,
conchinhas que um instante vêm para fora
para ao fundo voltar:
barcos com suas velas que naufragam
numa manhã de maio,
ilhas de ouro que nascem e se apagam
vindo o primeiro raio:
ideias que me encurtam a existência
roubando-me o calor;
qual lufada que leva com a essência
a ressecada flor:
Do coração ou da vida, algo tomam
as ondas que se vão;
se nada tenho, as ondas que ora assomam
que querem me dirão?
Com as ondas do mar ou as do tempo um dia
hei de rodar ao fundo;
por que, por que, enganosa poesia,
me ensinas fazer mundos?
Por que escrever nas areias os versos meus?
Quando em tuas singelas
páginas, ó praia do mar dos céus,
os farei com estrelas?

Jacint Verdaguer
(Tradução de Fábio Aristimunho Vargas)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: