Poesias Preferidas

Seleção de Poesias

Eu, robô? – Ida Della Monica

Sete horas da manhã. Acordo com aquele som característico de computador ligando: primeiro ato do meu filho.

Mais tarde, no metrô, tento me concentrar na leitura de um livro, enquanto os sons frenéticos de celulares, ipads, iphones e conversas ao fone de ouvido interpõem-se na minha poesia.

No escritório, a recepcionista, agitada, posta seu “bom dia” para a turma do facebook. Desatenta, não responde à minha alegre saudação matinal.

Nos corredores, pode-se ouvir gargalhadas, motivadas por um vídeo engraçado do youtube.

Noutra sala, um rapaz está ligado no twitter, com seus RTs e FFs.

Abro minha caixa de e-mails. Centenas de mensagens inúteis roubam uma boa parte da manhã. Deleto-as todas, e me decepciono porque, junto delas, foi-se também aquele arquivo importante.

Hora do almoço. Os toques de celulares e todos os tipos de conversa impedem um momento de paz às refeições.

E, depois, durante toda a tarde, não se fala em outra coisa que não sejam Redes
– “posts”, “timelines”, “tweets”, “trends”, “hashtags” – Sociais…

Fim do dia. Chego em casa e meu marido está vidrado no game.
“Oi amor! Tudo bem?”
E apenas o som irritante de uma corneta, proveniente do jogo do computador,
ecoa estridente, quebrando o silêncio…

Socorro! Acho que preciso de gente!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: